4.3.07

Match Point





Lá começo eu com a minha eterna frase do não gosto.... e realmente eu não gosto de Woody Allen, não costumo gostar dos filmes dele e detesto a figura, a pessoa, mas isso são gostos pessoais... porque gostei muito deste filme. Não gosto habitualmente das bandas sonoras dos filmes dele porque acentam em Jazz e eu não gosto de Jazz mas este filme tem como temas musica classica de Verdi, Opera... e curiosamente também este filme passa-se em Londres contrariamente a todos os outros que se passam habitualmente em Nova Iorque.

Este filme começa com uma imagem em que se vê uma bola de ténis a pairar sobre a rede e o narrador diz que a vida é como uma partida de ténis... por vezes a bola cai para um lado e ganhamos... noutras, cai para o outro e perdemos... e termina com uma aliança que depois de atirada bate no varão de uma ponte, salta, eleva-se no ar e cai para o lado de dentro... será esse o lado em que se ganha ou se perde??????

A História:

Chris é instrutor de ténis e faz amizade com um dos seus alunos que tal como todos os que frequentam o clube onde ele é instrutor pertencem à alta sociedade Londrina... é convidado para sua casa e conhece duas mulheres... Chloe, a irmã do seu aluno e Nola, a namorada deste. Mais uma vez duas mulheres e ele no meio delas sem saber para onde pender.... se para Chloe que se apaixona por ele e lhe garante segurança social e financeira, se para Nola que apesar de comprometida é a que realmente mexe fisicamente com ele.

A necessidade de ascensão social leva-o a casar-se com Chloe, que rapidamente demonstra ter como maior prioridade engravidar, enquanto que não consegue esquecer e abastrair-se da futura cunhada com quem se acaba por envolver duma forma descontrolada e perfeitamente obsessiva. E todo o filme se passa nesta ambiguidade de escolhas, Chloe entre a importância de conservar o marido e o desejo de ter um filho, Nola entre a paixão por Chris e a estabilidade que que o noivo lhe pode oferecer e Chris, entre as duas mulheres.

Tom, o noivo de Nola também ele se vê num dilema entre duas mulheres e Nola acaba por ser preterida... não se percebe bem se por amor se por necessidade de segurança, Nola aceita envolver-se com Chris ao ponto de ele a manter como amante num apartamento, mas Nola quer mais e mais... e quando Chris começa a protelar demasiado a prometida separação da mulher, ela começa a tornar-se muito incómoda para ele e para a realização dos seus planos....



O desfecho.... contém o final!!


Chris decide matá-la mas nada pode ser deixado ao acaso... ele não pode de forma alguma ser envolvido no crime... tudo é preparado ao pormenor... o alibi perfeito, a armadilha para retirar Nola de casa o tempo necessário, a arma do sogro sempre guardada e trancada numa cave... Chris dirige-se ao prédio, simula um assalto a casa da vizinha de frente, mata-a (tudo isto feito no maior desespero com muitos remorsos e sentimentos de culpa) e espera por Nola escondido na escada... quando esta chega da-lhe um tiro.

Em seguida dirige-se as margens do Tamisa e atira lá para dentro o produto do roubo simulado... mas quando já vem embora ainda lhe resta no bolso a aliança retirada à senhora da frente... e é essa aliança atirada de longe que vem "fechar o circulo" da narrativa inicial... ela eleva-se no ar e cai para o jardim em vez de cair para a água... as investigações iniciam-se e a policia através dum diário de Nola que ele não sabia que existia, considera-o o principal suspeito...

Esta ultima meia hora de filme é muito envolvente, sempre tudo girando em volta da sorte e do azar, criando alguma ansiedade para saber se Chris consegue sair incólume... para um dos polícias não há dúvidas que ele é culpado, para o outro, muitas dúvidas, sempre a mesma dualidade entre o sim e o não, a sorte e o azar, o fazer bem ou fazer mal... por vezes parece que sim que ele se vai safar... por vezes parece que vai ser incriminado... mas aquela aliança... quando ele já está praticamente encurralado... aquela aliança vai aparecer inesperadamente no bolso de um vagabundo morto... o crime está justificado... o caso foi encerrado.

4 comentários:

ALEXIA disse...

Só posso dizer vi e gostei é muito bom

dharma disse...

Vi e gostei muito, mas sou suspeita porque adoro Woody Allen. Adoro a personagem, dos velhos filmes, do judeu analítico, sempre deitado no divã, sempre com verborreia. E aquelas famílias judias, deliciosas,
que fizeram de NY a sua noca casa.
Este filme já é outra fase, em que o cenário deixou de ser NY, e as neuroses dos nova iorquinos. Ainda não vi foi o último, Scoop, quem sabe este fds.

Blue Eye disse...

Uau, mt lindo este cantinho ;)
Beijos

ALEXIA disse...

OLHA LÁ CADÊ AS NOVIDADES?????????