22.3.07

Meet Joe Black? - Conhece Joe black?



Como a morte pode ser linda.... ;)


Este filme levou-me ao cinema quando estreou, lembro-me que gostei imenso e que achei o Brad Pitt lindo neste filme.... e ainda hoje acho, lololol Há pouco tempo revi-o porque o meu marido nunca o tinha visto.

Bom é sem dúvida um filme diferente. Não é fácil ser sucinta a falar sobre ele porque são 3 horas de filme, mas como sempre eu tento: Brad Pitt encarna a "morte" que por estar de férias entre "dois trabalhinhos" decide encarnar num humano que acaba de morrer (situação que ele deu um "jeitinho" para acontecer) e acompanhar os ultimos dias de William Parrish (Anthony Hopkins), a sua próxima "missão" depois das férias.

Aparece então na pele de um jovem que por coincidência tinha conhecido a sua filha mais nova de manhã e por quem tinha ficado muito interessado assim como ela nele. Susan, é uma jovem médica que namora com Drew, braço direito de seu pai na empresa e que mantém com este um namoro "sem sal" que o seu pai aceita mas não apoia por entender que a filha precisa de viver uma grande paixão.

Joe Black, assim é a morte apresentada à familia, faz um acordo com Bill, de lhe dar mais algum tempo de vida se ele concordar em viver com ele os dias que lhe restam, mostrando-lhe algumas coisas sobre a vida, sobre emoções, sobre sentimentos humanos. E desta forma Joe torna-se na sua sombra, ficando instalado na sua casa, comendo à mesa com a familia e acompanhando-o todos os dias na sua ida para o escritório.

Este súbito personagem é aceite por todos duma forma muito reticente, porque do nada aparece um homem que passa a ser determinante em todas as decisões de Bill Parrish, levantando a duvida se é alguém em quem ele confia absolutamente ou se eventualmente o estará a manipular.

Bill, que fica transtornado inicialmente ao ver que tinha chegado a sua hora, consegue encarar e aceitar a realidade e ocupa os seus ultimos dias a reparar alguns erros do passado, como por exemplo reunir a familia para jantar diariamente, recompensar a sua filha mais velha por ter sido sempre preterida em prol da mais nova, e mais tarde dar o castigo necessário ao tal Drew que apesar de parecer ser o seu mais devoto funcionário, conspirava nas suas costas para o deixar arruinado e entregar a sua empresa nas mãos de um rival.

O que não estava nos planos da "morte" era o facto de se apaixonar por Susan e ela por ele. A tal paixão arrebatadora que o pai tanto queria para a sua filha!!! Quando chega a altura de se ir embora levando Parrish consigo, ele hesita entre levar apenas o pai, ou levar também Susan, mas numa violenta discussão que tem com ele, Joe compreende que de tudo o que ele aprendeu com Parrish, o mais importante a reter eram os fortes ensinamentos a tirar sobre amor, renúncia, abdicação e altruismo.

Como sempre a interpretação de Anthony Hopkins está irrepreensível, mostrando a sua apetência natural para actor, eximio na sua forma de expressar sentimentos e emoções. Não menos brilhante é a actuação de Brad Pitt que consegue ter uma expressão completamente "inexpressiva" como competiria ao seu personagem, mas com leves trejeitos de arrogância, altivez, sobranceria e poder que deixam antever o excelente actor em que ele se iria tornar, como já se tornou (isto na minha modestissima opinião claro).

8 comentários:

Maria disse...

Só vi partes do filme e fiquei coriosa por o ver todo, agora ainda mais.

david santos disse...

Olá!
Bom trabalho. Parabéns. A morte é linda. Pois a morte não mata. Apenas nos acolhe. A vida é que mata e é vendável, corrupta. A morte não. Esta nem se compra nem se vende.
Gostei muito do teu trabalho.
Até sempre

dharma disse...

Não vi, para variar, mas vou tentar ver, gosto muito do Hopkins, e o Pitt, ai, o Pitt, muito haveria a dizer sobre o tipo, é que além de bom actor é bom todos os dias... E olha que eu nem gosto de homens loiros nem com olhos azuis, mas este homem... olha, reticências... muitas...

Enfim... disse...

a morte nunca consegue ser bonita é horrenda seja como for.Bjs e bm fim semana

Naty disse...

Olá parabens como diz o amigo David bom trabalho adorei.
bjs naty

_+*A Elite in Paris*+_ disse...

Acho que o grande erro é ver esses filmes muito nova, depois com a minha idade nao me lembro patavina da historia ou da mensagem...

Zélia disse...

O filme é LINDO mesmo !
Epá amei mesmo ... e espero que volte a dar mais vezes na Tvi.
Até chorei no final ..

Amei mesmo !
e tambem adorei ver o Brad Pitt intrepertar esta personagem.

Beijos.

Anónimo disse...

Obrigado por intiresnuyu iformatsiyu